memeLab

BLOG

Como pesquisar para a inovação? – debate ao vivo nesta segunda

25 de outubro de 2010Comente!

A Pixel Multimídia realiza mais uma transmissão ao vivo dos encontros Jornal de Debates/Uninove.

Como aliar o esforço empreendido em pesquisas com inovação? O assunto será debatido nesta segunda-feira, 25/10, às 20h em mais uma edição da iniciativa Debates Uninove. Clique aqui para assistir a transmissão ao vivo.

Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento no Brasil estão em crescimento constante desde 2004. Ainda assim, o valor investido em inovação pelas empresas e o governo brasileiro é a metade do que se aplica no setor em países desenvolvidos. Segundo os dados mais recentes do Ministério da Ciência e Tecnologia, em 2008, foram investidos R$ 32,8 bilhões em P&D (pesquisa & desenvolvimento), valor equivalente a 1,09% do PIB brasileiro.

De acordo com especialistas, as empresas que têm mais chance de dar certo na economia do século XXI são as que investem em áreas específicas de conhecimento. Em um cenário paralelo ao das corporações já estabelecidas, pequenas iniciativas de inovação, baseadas em pesquisa e empreendedorismo, já têm impacto na economia nacional e geram mais de 30 mil empregos e R$ 1,6 bilhões de faturamento.

Parcerias entre a iniciativa privada e universidades têm crescido, mas a legislação que dá benefícios fiscais a instituições particulares que financiam pesquisas no país ainda não facilita a participação de empresas de pequeno porte.

Debatedores convidados:

Silvio Meira é professor titular de engenharia de software do centro de informática da ufpe, cientista-chefe do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, presidente do conselho de administração do Porto Digital, colunista do Terra Magazine, comentarista da CBN e consultor de políticas e estratégias de informação, TICs e inovação.

– Sérgio Queiroz é professor do Departamento de Política Científica e Tecnológica da Unicamp e Coordenador Adjunto de Pesquisa e Inovação da Fapesp.

– Antônio Britto Jornalista, político e executivo brasileiro, já exerceu os cargos de deputado federal, ministro da Previdência Social e governador do estado do Rio Grande do Sul e, desde maio de 2009, é presidente executivo da Interfarma – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa.Britto atua no mercado corporativo há 10 anos. Já foi membro do conselho administrativo da Claro, CEO da Azaléia e membro do conselho da Braskem.

– Milton de Abreu Campanário Economista pela FEA/USP, Mestre pela Universidade de Harvard e Ph.D. pela Universidade de Cornell. Coordenador do Programa de Mestrado e Doutorado em Administração – PMDA da Universidade Nove de Julho – UNINOVE e Professor da FEA/USP. Foi superintendente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo IPT. Publica na área de economia industrial e políticas e gestão tecnológica. Editor da Revista de Administração e Inovação – RAI.

Mediação: Paulo Markun – comentarista da Gazeta

A iniciativa Debates Uninove, fruto de uma parceria do JD e da Universidade Nove de Julho, já promoveu outros seis debates sobre os princiais temas da atualidade. Na última edição, especialistas discutiram a morosidade na Justiça brasileira. Participaram a prof. Maria Tereza Sadek, diretora de pesquisa do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas Judiciais; Dr. Davi Eduardo Depiné Filho, 1º Subdefensor Público-Geral do Estado; Dr. Antônio Carlos Alves Braga Jr., juiz auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); Dr. Jarbas Machioni, conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil; Dr. José Renato Nalini, desembargador da Câmara Especial do Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo; e Dr. Ademir de Carvalho Benedito, desembargador e coordenador da Conciliação em 2º Grau do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Antes disso, Fernando Barros Silva, do jornal Folha de S. paulo, Renato Rovai, da revista Fórum e Alberto Carlos Almeida, autor de A Cabeça do Eleitor e A Cabeça do Brasileiro discutiram o novo cenário político do país, a partir das eleições de 03 de outubro. Em 29/09, cientistas e religiosos discutiram os limites das pesquisas com células-tronco; estiveram presentes Mayana Zatz, coordenadora do Instituto Nacional de Células-Tronco em doenças genéticas, Claudio Cohen, presidente da Comissão de Ética do Hospital das Clínicas de São Paulo, Padre Vando Valentin, do Núcleo de Fé e Cultura da PUC-SP e Lenise Garcia, professora de Bioética da Universidade de Brasília.

O Debates Uninove também já reuniu os candidatos ao Senado por São Paulo para discutir suas propostas para educação no país. Compareceram Aloysio Nunes (PSDB), posteriormente eleito com a maioria dos votos no estado, Ricardo Young (PV), Alexandre Serpa (PSB), Ciro Moura (PTC), Dr. Redó (PP), Ana Luiza (PSTU) e Ernesto Pichler (PCB).

Em 30/08, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, foi sabatinado pelos estudantes, que enviaram mais de 400 perguntas, e os jornalistas Marcelo Damato, colunista do jornal Lance, Jiane Carvalho, editora executiva do jornal Brasil Econômico, Bruno Doro, editorassistente do UOL Esporte. A preparação do país para a realização dos dois principais eventos esportivos internacionais dominou o encontro, que foi citado em onze reportagens da grande mídia.

No primeiro encontro da iniciativa Debates Uninove, Pedro Rubez Jehá (secretário do Estado do Emprego e Relações do Trabalho/SP), André Urani (pesquisador do Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade), Antônio Carlos de Matos (administrador de empresas), Waldir Quadros (pesquisador da Unicamp) e Alfio Lagnado (empresário e surfista) discutiram o futuro do trabalho, os desafios e as oportunidades que quem inicia uma carreira.

O projeto Debates Uninove marca o retorno do jornalista Paulo Markun à organização e mediação de debates, função que exerceu por dez anos, primeiro como apresentador e depois acumulando o cargo de diretor do programa Roda Viva, da TV Cultura.

Próximos Debates

Até o final do ano, a parceria Uninove/JD realizará dez debates sobre os principais temas da atualidade, mediados pelo jornalista Paulo Markun, comentarista da TV Gazeta e JD, com participação dos estudantes da universidade – que tem hoje mais de 100 mil alunos, divididos em quatro campi (Vila Maria, Memorial, Vergueiro e Santo Amaro) e quatro polos pelo estado de São Paulo (Bauru, Botucatu, São Roque e São Manuel).

SERVIÇO

Evento: Debates Uninove
Data: 25 de Outubro de 2010 – segunda-feira
Horário: 20h (Hora de Brasília)
Local: Uninove: Campus Memorial – Av. Dr. Adolpho Pinto, 109. Barra Funda – São Paulo-SP

II Seminário Nacional do Grupo de Estudos de Práticas Culturais Contemporâneas

18 de outubro de 2010Comente!

O Coletivo Digital convida a todos os amigos e parceiros a participarem do II Seminário Nacional do Grupo de Estudos de Práticas Culturais Contemporâneas, que será realizado nos dias 21 e 22 de outubro na PUC-SP e terá como tema “Novas Tecnologias e Práticas Culturais Contemporâneas”

Segue abaixo a programação:

PROGRAMAÇÃO

Dia 21/10/2010 – das 9:00 às 12:00 hs.
Mesa 1 Novas Tecnologias e Práticas Culturais: a abrangência das transformações
Drica Guzzi (Escola do Futuro)
Marcelo Manzatti (Rede culturaspopularesBR)
Mediador: Wilken Davi Sanches (doutorando PUC-SP/ Coletivo Digital)

Dia 21/10/2010 – das 14:30 às 17:30 hs
Mesa 2 Corporeidades e subjetividades do presente e do futuro
Beatriz Ferreira Pires (EACH/ USP)
Helena de Lima Corvini (mestranda PUC-SP)
Mediador e expositor: Jorge Leite Jr. (UFSCar)

Dia 22/10/2010 – das 9:00 às 12:00 hs.
Mesa 3 Política na era tecnológica
Marijane Lisboa (PUC-SP)
Renato Rovai (Revista Forum/ Movimento Bloguista)
Mediador: Marco Antonio de Almeida (USP)

Dia 22/10/2010 – das 14:30 às 17:30 hs
Mesa 4 Reconfigurações das práticas e vivências do popular
José Rogério Lopes (Unisinos- RS)
Elder Maia Alves (UFAL)
Lelo Morais e Rafael Rocha (Grupo Ilê Aláfia)
Mediador: André Luiz da Silva (doutorando PUC-SP/ UNITAU)

Local: PUC-SP Rua M inistro Godói n. 969 – 5º. Andar- sala 526 – Perdizes – SP
Coordenação Geral: Profa. Dra. Maria Celeste Mira (PUC-SP)

Realização: GEPRACC Grupo de Estudos de Práticas Culturais Contemporâneas
Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais
Faculdade de Ciências Sociais da PUC-SP

VJ Pixel participa da comemoração do Samba da Vela

13 de outubro de 2010Comente!

VJ Pixel realiza intervenção visual no show do Samba da Vela durante o Outubro Independente
Desenvolvimento: Sabrina Nudeliman
Produção: VJ Pixel/ Galeria Olido
Artista: VJ Pixel

Um remix no olhar da Favela – esse é o estímulo que norteia a performance do VJ pixel durante o show em comemoração aos 10 anos do Samba da Vela, que acontece dia 16 de outubro, na Galeria Olido. Interagindo com a apresentação dos músicos, pixel criará ao vivo novos sentidos e representações do imaginário popular a partir dos vídeos com a temática do histórico do Samba da Vela, da cidade de São Paulo e atrações da Galeria Olido. Nessa intervenção, o artista utilizará efeitos de montagem e edição ao vivo, tendo como matéria-prima diversas produções.

Fundada em 2000 pelos sambistas: Magnu Sousá, Paquera, Maurílio de Oliveira e Chapinha, todos de Santo Amaro – SP, a Comunidade Samba da Vela é encontro de compositores que sem espaço para divulgar suas composições, fazem dessa reunião um verdadeiro culto ao que há de mais genuíno na cultura brasileira. Nesse encontro, cidadãos marginalizados pela sociedade, mas cheios de sensibilidade e amor ao Brasil, se revelam músicos, poetas e cantores.

Reunindo toda segunda-feira mais de 300 pessoas, em sua maioria jovens da periferia da Zona Sul de São Paulo, a Comunidade tem a vela como relógio que determina o início e o encerramento desta reunião. Sob o lema: “O silêncio é nossa prece”, a Comunidade acompanha atentamente a letra das composições que falam de suas experiências de vida, de amor, felicidade, negritude, da desigualdade social, desemprego e violência. O silêncio faz do samba um momento de reflexão, transformação e renovação dessa Comunidade resgatando a identidade e devolvendo valores antes desapercebidos por ela e pela sociedade, além de promover o sentimento de coletividade.

O Samba da Vela é uma reunião de sambistas, ou seja, compositores, cantores, músicos e simpatizantes do samba que apresentam suas obras inéditas diretamente ao público.

Outubro Independente

A ação é parte do Outubro Independete e de um conjunto de ações realizadas na Galeria Olido em um projeto de reposicionamento no mercado que democratiza o acesso de artistas às possibilidades tecnológicas.

A já conhecida Galeria Olido de São Paulo desenvolve a partir do mês de Outubro uma série de ações artísticas de inclusão de novas tecnologias e mídias digitais na programação do espaço. Estas ações serão parte integrante da programação do evento promovido pela Secretaria Municipal de Cultura “Outubro Independente” e envolvem exposições, debates, mostra e mesas de discussão.

A programação incluirá Exposição de arte e tecnologia “LIFE on LINE of LIFE” com a renomada artista Martha Gabriel, Exposição de Jovens Talentos da Universidade Anhembi Morumbi; Mesas redonda/ debate com artistas e curadores de arte digital; intervenção artística do VJ Pixel no show de comemoração dos 10 anos do Samba da Vela; shows de rock de bandas pertencentes ao selo independente “Baratos afins”; Mostra de Cinema “DVD-RW” de creative commons; um panorama de filmes brasileiros inéditos no circuito comercial; Mostra de curtas-metragens produzidas pelo “Coletivo de vídeo popular”; estréia nacional do filme “PIXO” de Roberto T. Oliveira e João Wainer; seções em homenagens as três produtoras mais independentes do cenário paulistano (Black Vomit, Sindicato Paralelo e 13 Produções); além de performances de artistas internacionais convidados.

Confira a programação na íntegra no http://www.centrocultural.sp.gov.br/outubroindependente/

Sobre o VJ pixel

“Tocar imagens”, a analogia com o oficio do DJ é utilizada pelo VJ pixel – em minúsculo mesmo. A experiência pela qual as pessoas passam em uma festa de música eletrônica, dançando como num ritual xamânico, faz com que elas transcendam para uma espécie de “zona autônoma temporária íntima”, explica pixel, “a ambientação desse universo lúdico é criada pelo som e imagem”, conclui, ele que foi o primeiro visual jockey do Brasil a tocar com softwares livres, programas de computador construídos a partir de inteligência coletiva. “Sempre gostei de me posicionar de forma ativa na vida” afirma pixel. Esta filosofia levou-o a organizar a comunidade de VJs do Brasil a partir da criação do VJBR (Visual Jockeys do Brasil), e o primeiro encontro nacional de VJs (VJBR I, Museu da Imagem e do Som – SP), além de participar da equipe de desenvolvimento do software que utiliza para tocar imagens, o LiVES.

Sua pesquisa em software livre fez com que ele recebesse um convite para se apresentar com Gilberto Gil no lancamento do Creative Commons no Brasil, durante o V Fórum Internacional de Software Livre – FISL – que aconteceu em Porto Alegre no ano de 2004. A partir daí ele foi contratado para prestar uma consultoria ao Ministério da Cultura sobre produção multimídia em software livre.

pixel já se apresentou na Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Distrito Federal, Goiás, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, em eventos como Fórum Social Mundial, Festival de Verão Salvador, Brasília Music Festival (BMF), Festival de Inverno de Garanhuns, PercPan e FILE Hipersônica. Além do Brasil, já atuou presencialmente em eventos Índia e Estados Unidos, e via Internet na Colômbia, Canadá e Reino Unido. Atualmente integra as redes VJBR, Estúdio Livre, MetaReciclagem, é integrante do coletivo Media Sana e do núcleo Desvio.

Transmissão ao vivo do Jornal de Debates

7 de outubro de 2010Comente!

Assista ao vivo, a partir das 20h

A Pixel Multimídia vem realizando a transmissão online dos eventos, realizados através da parceria Uninove/Jornal de Debates. No quinto debate da série, dia 7 de outubro, às 20h, a discussão gira em torno do Brasil depois das eleições. Até o final do ano, acontecem dez encontros, todos transmitidos via web em tempo real.

O projeto Debates Uninove marca o retorno do jornalista Paulo Markun na organização e mediação de debates, função que exerceu por dez anos, primeiro como apresentador e depois acumulando o cargo de diretor do programa Roda Viva, da TV Cultura.

Sobre o debate – Qual o Brasil que emergiu das eleições do dia 3 de outubro? Ainda que a disputa presidencial esteja em jogo os cargos legislativos já foram definidos, e o Poder Legislativo é peça fundamental na gestão do Poder Executivo.

Ao fim das eleições legislativas, quem perdeu? Quem ganhou? Quais são as perspectivas para os próximos quatro anos? Quais as reformas que precisam ser feitas, as deficiências que precisam ser corrigidas? São muitas as questões suscitadas pelos resultados dessas eleições.O Jornal de Debates, junto com a Uninove, promoverá uma discussão com quadros qualificados da academia e da imprensa nacional sobre o cenário político pós-eleição de 3 de outubro.

Debatedores:

Fernando de Barros e Silva – Folha de S.Paulo
Luiz Fernando Rila – O Estado de S. Paulo
Renato Rovai – Revista Fórum
Alberto Carlos Almeida – Cientista político, autor do livro “A cabeça do brasileiro”

Mediação: Paulo Markun – comentarista da Gazeta

Evento: Debates Uninove
Data: 07 de Outubro de 2010
Horário: 20h
Local: Campus Uninove Memorial – Av. Dr. Adolpho Pinto, 109 – Barra Funda, São Paulo-SP

Transmissão ao vivo e live blogging: http://jornaldedebates.uol.com.br/aovivo/que-brasil-surge-das-urnas

Debates já realizados:

Haverá emprego no futuro? Convidados: Alfio Lagno – empresário e representante da marca Hang Loose no Brasil, André Urani – pesquisador do instituto iets, Pedro Rubez Jehá – secretário do trabalho, Antonio Carlos de Matos – consultor em gestão empresarial e Waldir José Quadros – professor da Unicamp.

O Brasil está pronto para as Olimpíadas e a Copa do Mundo? Convidados: Ministro dos Esportes, Orlando Silva, jornalista Jiane Carvalho – Brasil Econômico, Marcelo Damato – colunista do Lance, Bruno Doro – editor da uol.

Candidatos ao Senado: Aloysio Nunes – PSDB, Alexandre Serpa – PSB, Ana Luiza – PSTU, Ciro Moura – PTC, Dr. Redó – PP, Ricardo Young – PV.

A ciência deve usar Células-Tronco? Convidados: Mayana Zats – pesquisadora, Padre Vando Valentin – coordenador do núcleo de fé e cultura, Lenise Garcia – professora da unb, Claudio Cohen – professor de bioética e pesquisador.

Dias de Open Video Conference – breve relato

6 de outubro de 2010Comente!

Ok!
Um breve relato e alguns links interessantes que rolaram nas apresentações da Open Video Conference.
Dias intensos, quatro salas e muitas pessoas e conversas no caminho.
Infelizmente, não tivemos conexão durante os dias do evento para atualizar em tempo real, mas em breve os vídeos estarão disponíveis no site da conferência, e através da tag ovc10 dá pra achar muito conteúdo linkado pelos participantes.

1 de outubro:

Chegamos às 6 da manhã, chuvosa.

Toda a equipe preparando as salas, equipamentos, organizando para a chegada dos convidados.
Uma grande equipe, ajeitando cada detalhe da agenda: cadastramento, palco, receptivo, logística técnica, filmagem, fotografia, etc.

Foram 30 apresentações (sem contar os encontros e conversas informais, que rendem sempre ótimos temas) ocorrendo paralelamente nos espaços do Fashion Institute Technology.


Temas para todos os gostos: infraestutura, arquitetura da informação, acessibilidade, criatividade e inovação nas comunicações de rede, remix, metadados e muitas, muitas pessoas vislumbrando os usos da jovem atualização do HTML5: na apresentação de players, streaming em formatos abertos, arquivos de mídia para acervos, advertising, etc.

Muitas empresas, pessoas, Ong’s e coletivos apresentando suas formas para a apropriação de conteúdo, seja hackeando dados públicos (vide Metavid.org ), formas de lidar com conteúdo em copyright (vide Fairuseproject ), ou como entender a sutil diferenças entre análises aproximadas ou monitoramento, trackeando os acessos, dados analíticos de seu website para melhor entender os usuários (vide KantarVideo ).

Muitas demonstrações de projetos nos quais a apropriação dos meios de produção e conteúdo transformam os olhares na web, gerando meios de acesso ( vide BitTorrent ), formas de protagonismo (vide Workbook project), gerenciamento autônomo (vide pan.do/ra e PBCore 2.0).

Pra fechar, uma boa fala sobre remix, envolvendo projetos que se utilizam de outros conteúdos para expressão própria.
Dê uma olhada em Popculturepirate (também no http://elisakreisinger.wordpress.com/video/captivity/),
Thisiswhereidothings.com e esse vídeo do Fall on your sword.

Muito bom!

2 de outubro:

Cooperação, articulação, mídias e direitos humanos, inovação, educação.

No segundo dia de conferência, a correria de uma sala para a outra fez valer o cansaço: as palestras estavam bastante voltadas à ação, intervenção social e demonstrativos de projetos acontecendo por aí no mundo livre.

Aliás, muito bom ver a sessão de lightning talks.
Apresentações objetivas de iniciativas inteligentes e criativas no uso da internet, assim: pá-pum.
(lá vem a chuva de links)

Cooperação entre países, juventude e direitos humanos:
Unculturedprojects, by Shawn

Música, remix, colaboratividade:
Opsound, by San Randolph

Arte visual, desenvolvimento e fractais:

Electric Sheep, by Scott Draves

How the creativity will be compensed?

Vídeo e remix:
Rebellious pixels
, by Jonathan Mcintosh

Desenvolvimento, XML, arte:
Graffiti Markup Language, by FAT

Entre muitos outros.

Graffiti Markup Language

Ah! Destaque: Walking the edit, um aplicativo para o Iphone que desenha com ajuda do GPL o caminho filmado em um mapa gráfico. Colaborativo, claro.

Houve, além das discussões sobre ferramentas livres em novas mídias para a educação (vide Matterhorn e OpenVault) e educação mobile ( EOI’s m-learning), preservação de acervos audiovisuais (vide Open Images entre outros).

Houve também  discussões sobre padrões para o vídeo livre, estratégias e modelos de produção, e cenários locais para o Vídeo Livre na Índia e Brasil.

Sim, foi a mesa para a qual a Aliança do Vídeo Livre foi convidada a participar, com participação de Joana Varón, da Fundação Getúlio Vargas – Rio, que falou um pouco do andamento das questões da Reforma da Lei de Direitos Autorais e Marco Civil da Internet, Fabrício Solagna, da Associação Software Livre sobre o desenvolvimento da ferramenta de webcasting Landell, o Felipe Sanches falando sobre oe recém lançado Universal subtitles, e Pedro Markun e Vj pixel falaram um pouco do cenário das políticas para vídeo no Brasil, políticas públicas, e o que a Aliança fez e precisa fazer mais para de fato movimentar a idéia. A apresentação da Pesquisa de Vídeo Livre no Brasil reforçou a afirmação de algun dados, além de apontar algumas direções para as políticas públicas no tema.

Mesa da Aliança do Vídeo Livre na OVC

Foram citadas a necessidade de ampliar o diálogo com uma comunidade pelo vídeo livre, ampliar o conhecimento no desenvolvimento de eventos, material educativo e informativo, ampliar a articulação e o comprometimento de empresas e pessoas que estão movendo os projetos na internet.br para realmente afirmarmos um cenário e uma aliança pelo vídeo livre.

A apresentação breve do desenvolvimento do plugin de wordpress para streaming Pari Passu e da aplicação Lico, desenvolvidos aqui na PixelMM por Miguel Peixe, e a Videre, plataforma que está sendo desenvolvida em parceria entre o MinC, PixelMM e Holoscópio também ampliaram o panorama do que estamos fazendo por aí.
3 de outubro – HAck LAb

Hack Lab

Passamos o dia em conversas informais pelos espaços do Hack Lab.
Nada melhor para conhecer o que andam fazendo e mostrar o que estamos fazendo.
Foram mais de 4 salas cheias de pessoas bastante concentradas em seus computadores, trocando links, projetos, soluções técnicas para projetos.

É bastante interessante ressaltar a presença de muitos brasileiros no evento, em torno de 10 pessoas, de diferentes projetos e organizações (e independentes também).

Foi interessante perceber o fascínio e a constatação unânime das pessoas de outras nacionalidades que sinalizam uma grande curiosidade sobre como nós brasileiros estamos despontando no desenvolvimento, uso e criação com o software livre e cultura livre. Aonde dizíamos ser brasileiros vinha a pregunta: “wow! You guys are really using creative commons in Brazil, aren’t you?” ou “Hey, are the government supporting open software there?”.

Espaços e mesas abertas para o diálogo na OVC

Ainda temos um grande caminho para fazer as coisas realmente andarem de forma mais sustentável no Brasil, mas que estamos bem perto, e com um cenário de ações e pessoas brilhantes, é fato.

Ficamos por aqui.

Procurem os relatos através da tag Ovc10 e aprofundem as observações. Foram dias de intensa produção de projetos pra lá de interessantes.

Até o próximo!

Visitas técnicas aos espaços da OVC

30 de setembro de 2010Comente!

Na última quarta (28), passamos o dia correndo para afinar os horários de montagem e a lista dos equipamentos.

Visitamos o NYC Interactive Telecommunications Program, quando passamos no incrível espaço da Universidade para conhecermos as salas e equipe técnica que dará suporte para o hack day da OVC no dia 3 de outubro.

Logo no hall do 4o andar, entramos e pudemos nos deparar com um barulhinho peculiar: peças de madeira se movendo a cada movimento na sala…É o Wooden Mirror, de Daniel Rozin, que através do sensor de uma câmera posicionado no centro do espelho de 170cm de altura, identifica a área dos objetos em frente à lente e move algumas das 830 peças de madeira, representando por meio do contraste da sombra nas peças movidas, a figura captada, perfeitamente.

Foto do espelho de madeira no Museu de Israel

Depois, fomos ao auditório do TIF – Fashion Institute of Technology, onde será sediada a sala principal da conferência. Checamos tomadas disponíveis, localização da mesa de set up do streaming, câmeras e afinamos os detalhes e horários com a equipe técnica do local.

Muita correria para conseguir os últimos itens do set up. Hoje vamos à rua comprar uma Edirol V8 e scan converters para completar o que nos falta.

Preparando a Open Video Conference 2010

29 de setembro de 2010Comente!

2 dias e algumas horas até o início da Open Video Conference.

Estamos nos concentrando agora no desenho de montagem do set up para o streaming que será transmitido via formato Ogg Theora e WebM.

Faremos o design dos Gcs em chorma key de participantes para mixar junto ao streaming.
Faremos também uma oficina no primeiro dia com os voluntários da conferência para apropriá-los da mixagem ao vivo e direção de câmeras, para daí encarregá-los da operação completa durante os dias do evento.

A participação via internet poderá ser linkada via Twitter e através das tags:

ovc10
videolivre (para publicações em português)
openvideo (para publicações em inglês)

As caixas de materiais de informação e divulgação das empresas envolvidas já estão preenchendo a sala do Coordenador da OVC Ben Moskowitz.

Em breve faremos uma força tarefa de 12 pessoas para organizar as bolsas que serão distribuidas para os participantes…



Tem uma iniciativa muito legal de hospedagem solidária Adopt A Hacker NYC, que poderá ser de grande utilidade se você estiver vindo para o evento e ainda não sabe onde ficar. Boa troca!

Muitos palestrantes interessantes e de diferentes áreas da cultura livre. Presença confirmada de Damian Kulash da banda Ok Go! que estourou na internet com seus vídeos low-budget e muita criatividade, como o talvez mais famoso: “Here it Go again”. Veja os vídeo no site da banda.

E para inspirar os produtores e esquentar as discussões, Let’s talk About Internet Memes.

Até!

OVC10 – Chegando em Nova Iorque

28 de setembro de 20101 comentário

Chegamos em Nova Iorque há 2 dias e as expectativas e preparativos para a Open Video Conference se intensificam a cada hora.

A OVC, que acontecerá no Fashion Institute of Technology (FIT) em Nova Iorque, nos dia 1 e 2 de outubro, terá também um dia para o ‘hack day’ no NYU Interactive Telecommunications Program, exibição e bate papo sobre os filmes ‘livres pra compartilhar’ no Shared Film Festival, entre várias palestras e apresentações que podem ser vistas detalhadamente na agenda da conferência. Os organizadores estão excitados com a agenda e os participantes confirmados.

O convite para a vinda contempla as articulações da Aliança do Vídeo Livre fundada este ano entre parceiros no Brasil e a Pesquisa de Vídeo Livre no Brasil: mapeamento de atores e políticas, realizada em meados de março de 2010 pela equipe da Pixel Multimídia.

A sessão intitulada Open Video Producers in Brazil — Aliança do Vídeo Livre, que acontecerá no segundo dia da Conferência, às 17h30 (GMT -4), trará um panorama das ações direcionadas a compartilhamento, cultura livre,  políticas públicas e articulações para o vídeo livre. A mesa conta com a participação de representantes das organizações fundadoras da Aliança do Vídeo Livre: Ronaldo Lemos e Joana Varón –Fundação Getúlio Vargas, Fabrício Solagna – Associação Software Livre, Pedro Markun – Nunklaki Comunicações e Andressa Vianna e Vj Pixel – Pixel Multimídia, estas duas últimas situadas na Casa da Cultura Digital, em São Paulo.

Faremos a partir de hoje, relatos dos preparativos para a OVC. Durante o evento, vamos fazer uma cobertura multimídia e transmissões ao vivo no site da empresa.

Stay tuned!

Cinema do Brasil oferece imersão no mundo transmidiático

20 de setembro de 2010Comente!

e-flyer - clique para ampliar. distribua.

O Programa Cinema do Brasil, em parceria com o Ministério da Cultura, o Programa Up to 3’, o Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP) e o Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realizarão o I Workshop de Bíblias Transmídia, ministrado por Jesse Cleverly, sócio-diretor de criação da Connective Media Solutions e ex-diretor de coprodução e aquisição de conteúdo da BBC Children.

O seminário internacional tem como objetivo capacitar os participantes para o desenvolvimento de projetos em crossmedia a partir de uma proposta de conteúdo audiovisual multiplataforma ligada as mais diversas áreas, como cinema, artes plásticas, literatura, quadrinhos, meio-ambiente, sociedade, design, games e novas linguagens.

Interessados em participar têm até o dia 5 de outubro para inscrever propostas que contemplem, pelo menos, três mídias, entre elas uma necessariamente audiovisual.  Uma comissão de seleção, encabeçada por Cleverly, selecionará 10 propostas.
Segundo Marilia Perracini, gerente executiva do Programa Cinema do Brasil, o evento acontecerá em duas etapas, no MIS-SP. “O workshop inicial apresentará os conceitos e fundamentos de Transmídia, aplicados e dirigidos às propostas participantes. Durante três meses, as propostas serão desenvolvidas e arquitetadas em bíblias transmídia, através de um trabalho intenso (à distância) entre os participantes e Jesse Cleverly.

Já na segunda fase, os projetos serão finalizados e cinco serão escolhidos para fazer parte de uma sessão de pitching com ‘compradores
de conteúdo’ internacionais”, explica Marilia.

Dinâmica:

1ª. Etapa (19 e 20 de novembro) – O Workshop inicial apresentará os conceitos e fundamentos de Transmídia, aplicados e dirigidos às propostas participantes. Durante três meses, as propostas serão desenvolvidas e arquitetadas em projetos através de um trabalho intenso (à  distância) entre os participantes e ministrante.
2ª. Etapa (26 e 27 de fevereiro) – Workshop final – Nesta fase todos os projetos serão finalizados e cinco serão escolhidos para fazer parte do pitching com compradores de conteúdo internacionais.

Tópicos que serão abordados:

*Introdução transmídia.
– Os grandes temas da transmídia – o que é.
– Projeto: Temas, objetivos, público, clientes, rentabilidade e
mensagens-chave, e benefício.
– Criar um universo narrativo, encontrar o centro moral e mapear a transmídia.
– Roteiro, gênero e duração.
– O público – a tecnologia e os hábitos de mídia, desejos e necessidades.
– Abordagem, a plataforma-chave, as capacidades de relação e o índice
de alocação / plataforma.
– Cronograma do projeto, dividido por plataformas.
– Dinheiro: Possível orçamento, clientes, fontes de receitas e estratégias.
– Desenvolvimento

Investimento: R$ 300,00 (Associados do Cinema do Brasil têm 50% de
desconto / Associados dos Programas Brazilian TV Producers, da Film
Brazil, ABDESIGN, Projeto Brasil Arte Contemporânea e  Brazilian
Publishers têm 20% de desconto).
Inscrição: Tanto associados como não associados poderão encaminhar,
gratuitamente, suas propostas até o dia 5 de outubro. Para que a
inscrição do projeto seja efetivada é necessário preencher o
formulário de inscrição no site do UpTo3´ www.upto3.com; e enviar o
projeto em português e inglês para os emails: transmidia@upto3.com e
eventos@cinemadobrasil.org.br

Regulamento:

–  O Programa aceita propostas de roteiristas e criadores individuais, bem como de empresas e organizações que trabalham com Broadcasting,
Cinema, Propaganda, Publicações, Quadrinhos, Artes Plasticas e Visuais, Mídia Digital, Teatro, Circo, Música, Dança, Meio-Ambiente,
bem como as organizações sociais que lidam com grupos específicos dentro da sociedade.

– Os participantes precisam ter fluência em inglês.

As propostas devem:

– Ter de 2 a 4  páginas e conter, de maneira resumida a descrição do projeto
– Demonstrar um senso de narrativa forte
– Ter um público-alvo definido (target da audiência)
– Apontar quais as mídias envolvidas e porque elas são particularmente adequadas para a implementação de projeto;
– Comunicar o envolvimentos dos criadores
– Explicar as razões pelas quais estão bem capacitados para o desenvolvimento do  projeto em múltiplas plataformas.
– Delinear as experiências anteriores, apontando os conhecimentos específicos: É preciso enviar o currículo do criador do projeto, com
indicação da empresa produtora que irá executar o projeto, e um link de trabalhos realizados. Caso o autor não tenha experiência na área
audiovisual, é necessário o envio do currículo do representante do projeto (ligado à área audiovisual).

O Empreendedor no Mercado Audiovisual Globalizado

14 de setembro de 2010Comente!

O VJ Pixel, pesquisador em mídias digitais e diretor da Pixel Multimídia, será um dos palestrantes no Seminário O Empreendedor no Mercado Audiovisual Globalizado – Mídias Digitais, que acontece quarta e quinta-feira (15 e 16), no Rio de Janeiro. (mais…)