memeLab

BLOG

Debate com especialista sobre crack

7 de dezembro de 2010Comente!

O antropólogo Philippe Bourgois viveu em meio a viciados da América Central e Estados Unidos por mais de 20 anos. Especialista em crack vem ao Brasil conhecer realidade de dependentes da droga no país. Os debates serão transmitidos ao vivo dias 8 e 9/12 pelo site http://jornaldedebates.uol.com.br

foto: http://www.flickr.com/photos/marcogomes/

foto: Marco Gomes

O consumo de crack no Brasil já pode ser considerado um flagelo nacional. Segundo o IBGE 1,2 milhão de brasileiros já estão viciadas na droga, derivada das sobras do refino da cocaína. O país tem ainda 81,7% das apreensões de crack na América do Sul, de acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodoc).

Motivado por conhecer a realidade do crescente consumo do crack no Brasil, o antropólogo norte-americano Philippe Bourgois estará no país de 07 a 13 de dezembro, a convite da Universidade Nove de Julho, onde ministrará palestra e participará de debate, como participante da iniciativa Debates Uninove.

Bourgois, pós-doutor pela École Normale Supérieure de Paris e Professor do Departamento de Medicina Familiar e Práticas Comunitárias na Universidade da Pensilvânia, passou mais de 20 anos em meio a usuários de crack e outras drogas no Panamá, Costa Rica, El Salvador, Belize, Nicarágua e Estados Unidos. A partir destas experiências, escreveu os livros InSearch of Respect: Selling Crack in El Barrio (1995) e Righteous Dopefiend (2009), recebeu oito prêmios internacionais e mais de US$ 5 milhões em financiamento para pesquisas.

Seus estudos buscam identificar como o contexto macroestrutural de uma comunidade influencia o comportamento dos viciados em drogas e, com isso, propõem soluções para o problema. Nos países da América Central, ele descobriu a influência direta de guerras civis no uso de entorpecentes entre a população.

Atualmente, o antropólogo conduz uma pesquisa com moradores de rua usuários de heroína para minimizar o contágio de HIV entre eles e mantém visitas às localidades pesquisadas anteriormente.

Esta será sua primeira visita ao Brasil. Nos cinco dias em que ficará em São Paulo, Bourgois também visitará regiões ocupadas por dependentes do crack na cidade e concederá entrevistas à imprensa.

Eventos

Em 08/12, Bourgois contará sua experiência em mais de 20 anos de trabalho de campo junto a usuários de drogas em cinco países da América Central e nos Estados Unidos, onde inclusive morou por cinco anos junto a usuários e traficantes de crack.

No dia seguinte, ele se juntará a especialistas brasileiros para discutir as possíveis soluções para a droga no país. Participarão do debate representantes do Denarc (Departamento de Investigações Sobre Narcóticos); Conselho Estadual Sobre Drogas; Dr. Marcelo Robeiro, médico, especializado em tratamento do crack; e do Instituto É de Lei, que presta auxílio a usuários de crack na região Cracolândia.

Os eventos contarão com registro e transmissão ao vivo realizados pela memeLab.

SERVIÇO
DEBATE: O CRACK TEM SOLUÇÃO?
– PALESTRA DE PHILIPPE BOURGOIS:

Quando: 08 de dezembro, às 20h
Onde:
Campus Uninove Vergueiro (Rua Vergueiro, 235)
Quando: 09 de dezembro, às 10h30
Onde: Campus Uninove Vergueiro (Rua Vergueiro, 235)

Transmissões ao vivo: http://jornaldedebates.uol.com.br/

O crack

Nenhuma outra substância ilícita tem semelhante poder de dependência. O crack é uma das drogas mais baratas do mercado, geralmente é vendido por R$ 5 por pedra, e traz danos físicos, psicológicos e sociais a seus usuários. Quando os efeitos da droga diminuem no organismo, o dependente sente sintomas de depressão e tem sensação de perseguição. Os usuários também sofrem processos de desnutrição, têm rachadura nos lábios, sangramento na gengiva e corrosão dos dentes; tosse, lesões respiratórias e maior risco para contrair o vírus HIV e hepatites. Além disso, na maioria dos casos, há perda nos vínculos familiares e de amizade e abandono dos estudos e trabalho. São comuns também os casos de prostituição e roubos em troca de drogas.

Debates Uninove

A iniciativa é fruto da parceria entre o jornal online e colaborativo JD, dirigido pelo jornalista Paulo Markun, e da Universidade Nove de Julho e leva os principais assuntos leva os principais assuntos da atualidade para discussão entre personalidades consagradas e os futuros profissionais do mercado.

Desde agosto, foram oito encontros realizados, com participação de ministros, secretários de Estado, cientistas, juristas, jornalistas, empresários, investidores e políticos. O projeto Debates Uninove marca o retorno do jornalista Paulo Markun à organização e mediação de debates, função que exerceu por dez anos, primeiro como apresentador e depois acumulando o cargo de diretor do programa Roda Viva, da TV Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *